O Vale de Ihlara é um vale feito por um rio no qual se podem visitar 16 igrejas em cavernas. Achei o lugar super interessante por isso, em parte porque não estava tão lotado quanto outros mais próximos de Göreme. Ele tem extensão de 6 km, e pode ser visitado pelas vilas de Ihlara, Selime ou Belisirma.

IMG_20160116_092947

Acredita-se que o vale costumava ter mais de cem cavernas e que já chegou a abrigar cerca de oito mil pessoas.

A maioria das pessoas que morava aqui foi obrigada a abandonar suas casas durante a troca de população entre a Turquia e a Grécia em 1924. É que os dois países estavam preocupados com as minorias (gregos na Turquia e muçulmanos na Grécia) e resolveram fazer uma troca, desnaturalizando cerca de 2 milhões de pessoas, que foram obrigadas a deixar as suas casas levando apenas o que conseguiam carregar.

Esse acordo bizarro foi supervisionado pela Liga das Nações, e visava a diminuir tensões étnicas que teriam surgido com a guerra dos Bálcãs, a Primeira Guerra Mundial e a Guerra Turca de Independência – depois da primeira guerra mundial, a Turquia tinha sido dividida e ocupada pelos países vencedores.

IMG_20160116_093129
As pessoas que moravam nessas cavernas tinham medo dos olhos nos afrescos, que, por causa de uma técnica de pintura, parecem te seguir. Por isso eles foram destruídos em muitas pinturas.

Várias das Igrejas do Vale são bem conhecidas, como a Igreja de São Jorge, a Igreja debaixo da Árvore e a Igreja da Serpente.

IMG_20160116_093203
Esse lugar sobreviveu um milênio, terremotos, erosão, perseguição religiosa. Talvez ele não sobreviva turistas estúpidos que querem escrever o próprio nome no afresco, ou levar um souvenir para casa.

Perto de Ihlara está o Monastério de Selime, o maior edifício religioso de toda a Capadócia, esculpido na rocha no século XIII. É um lugar maravilhoso onde você pode passar horas explorando as diferentes salas, como a cozinha, o estábulo e a capela. Para visitar algumas partes do complexo, vocẽ vai precisar se espremer em passagens estreitas ou escalar a pedra.

Você pode até mesmo chegar na parte mais alta, mas o acesso não está em boas condições e quem tentar deve tomar muito cuidado. O guarda nos disse que eles destruíram parte do acesso de propósito por causa do número de pessoas que subia e ficava preso na parte de cima.


As duas atrações são facilmente visitadas por transporte a partir de Göreme, e no Vale de Ihlara não faltam opções de almoço à beira do rio.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

2 comentários

  1. Que lugares lindos! Quero visitar, e to pensando em ir de ônibus mesmo a parte de Göreme, onde vou ficar. Você sabe se é fácil?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s