No primeiro post, explicamos sobre a Síndrome de Florença, doença que acomete algumas pessoas ao serem expostas a uma grande quantidade de obras de arte. A doença tem o nome da cidade por um motivo, e não tem nenhuma cidade com tantos casos registrados. Se você quiser arriscar, tem aqui uma lista de alguns dos lugares mais impressionantes da cidade.

 

Santa Croce

A maior igreja franciscana da cidade. Por causa do voto de pobreza da ordem, foi construída na parte mais pobre e mais sujeira a inundações da cidade.

Vários florentinos importantes estão enterrados aqui, como Galileo, Leon Battista Alberti, Dante, Michelangelo e Maquiavel.

A Cappela dei Pazzi foi construída por Brunelleschi e é considerada uma obra prima do renascimento.

 

Palazzo Pitti

O Palazzo Pitti era a residência da família Pitti mas logo passou para o controle dos Medici. Hoje esse grande palácio do renascimento abriga o maior complexo de museus da cidade. Ele inclui a Galleria Palatina, um Museu de Arte Modena, um Museu dos objetos de prata, um Museu da Porcelana, os Apartamentos Reais e os gigantescos Jardins de Boboli, considerados o pulmão da cidade. Eles incluem pinturas de Rafael, Ticiano, Rubens e Caravaggio.

 

Chiostro degli Scalzi

chiostro dello scalzo
Crédito: wikipedia commons

Pequeno claustro com afrescos de Andrea del Sarto, que também foi danificado pelas enchentes de 1966. Eles só foram abertos para o público em 2000, e só em alguns dias da semana. Mas para quem consegue entrar, é uma verdadeira surpresa.

 

Galleria degli Uffizi

uffizi arno florença

Esse prédio foi construído para abrigar os escritórios dos magistrados de Florença, mas depois se tornou um dos museus de arte mais prestigiosos do mundo. Florença é a cidade do renascimento, e o museu representa bem esse movimento e outros, com pinturas de Da Vinci, Rafael, Caravaggio, Dürer, Paolo Ucello, Artemisia Gentileschi, Rembrandt, entre outros.

Em 1966, quando o rio Arno inundou o museu e grande parte da cidade, voluntários de todo o mundo vieram para ajudar a resgatar as obras de arte. Eles eram chamados pela população local de “anjos da lama”.

 

Galleria dell’Accademia

accademia
Crédito: Polo Museale Fiorentino

Mais conhecido como o lugar onde está o David do Michelangelo, a Galleria dell’Accademia são muito mais do que isso, com uma ampla coleção de arte. Do lado há um Museu dos Instrumentos Musicais, que pode ser visitado com o mesmo ingresso.

 

Piazzale Michelangelo

A atração aqui não é a cópia do David que dá o nome a praça, mas a vista para Florença. Essa é a cidade do renascimento, e merece ser vista de uma perspectiva privilegiada. É só subir a escadaria para chegar aqui do Arno. Em dias quentes, você vai ver muita gente fazendo piquenique.

 

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

2 comentários

    1. Olha, tudo depende dos seus interesses. Se você gosta muito de arquitetura e arte, pode ficar semanas. Eu fiquei lá por duas semanas e foi um tempo muito bem gasto. Mas se tiver pressa, pode ficar só alguns dias e conhecer outras cidades.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s