Os tchecos não gostam muito de Franz Kafka. Ele escrevia em alemão, não em tcheco. Para alguns, isso simboliza a diversidade da cidade, para outros é quase uma traição. O maior autor tcheco, segundo a maioria dos tchecos que conheci lá, é Hrabal.

Mas Kafka também é um símbolo da época em que viveu. Ele era um judeu que escrevia em alemão em Praga, antes que os nazistas expulsassem os judeus e os soviéticos expulsassem os alemães. Ao mesmo tempo, por ser o que era, foi proibido durante o comunismo – ou pelo seu nome ter virado o adjetivo que melhor representava a burocracia e o terror do regime.

kafka e praga
This is not a city. It is a fissure in the ocean bed of time, covered with stony rubble of burned-out dreams and passions, through which we – as if in a diving bell – take a walk. It is interesting, but after some time one loses one’s breath.

 

Kafka tinha pela sua cidade de nascimento uma relação de amor e ódio, e provavelmente ele odiaria ter sido transformado em praça e souvenir. Na Carta ao Pai, ele diz que não pode viver em Praga, mas não sabe se pode viver em algum outro lugar. Praga era o lugar onde ele vivia uma vida dupla, de funcionário e de escritor. Era onde ele tinha vivido em um ambiente familiar sufocante.

souvenir kafka praga
Estampa de souvenir da marca Fun Explosive

Sua relação com o judaísmo é igualmente complicada. Ele frequentava a Sinagoga Nova-Velha e a Sinagoga Pinklas, ambas ainda conservadas porque Hitler queria fazer delas um museu da extinta raça judaica. Kafka também viu a remodelação do bairro judeu, que se transformou de pequeno e insalubre a rico e desejado, com a abertura de grandes boulevares. Mas ele ainda via nas ruas o bairro antigo, como era.

IMG_20150118_192358
Estátua de Kafka por Jaroslav Rona no bairro judeu, em frente à Sinagoga Espanhola

Descendo a partir do Castelo de Praga, onde Kafka morou por um tempo, você pode encontrar o Museu de Kafka, que tenta recriar a atmosfera dos seus livros. É um museu conceitual muito interessante, que deve agradar aos fãs do autor.

IMG_20160326_110237

Em frente ao Museu Kafka, há uma famosa escultura do David Cerny conhecida como The Pissing Men. Eles urinam em um mapa da República Tcheca e podem soletrar o que você pedir em uma mensagem de texto. Não perca tempo tentando descobrir a relação com Kafka – a estátua estava lá muito antes da abertura do museu.

IMG_20160326_110254

Quando eu quis fazer uma tatuagem sobre meu intercâmbio com a AIESEC em Praga, foi uma frase dos diários dele que escolhi: “Prague doesnt’t let go. Of Either of us. This old crone has claws. One has to yield or else. We would have to set fire to it on two sides, at the Hradcany and the Vysehrad, then it would be possible for us to get away.”

Tatuagem Praga tattoo Prague Kafka

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s