A maioria das pessoas que visita a Croácia fica apenas na costa. As cidades no litoral são lindas, e a capital, Zagreb, não parece ter muitos atrativos à primeira vista. Mas Zagreb conquista quem passa por lá com sua atmosfera vibrante. Se a costa é linda, também pode cansar por ser tão cara e cheia, enquanto Zagreb é barata e relaxada.

Por isso Zagreb acabou sendo uma das minhas cidades preferidas na Croácia, e muita gente do meu albergue concordou comigo.

Ao sair para explorar a cidade, o primeiro lugar pelo qual eu passei a praça de Jelačić. Ela tem esse nome por causa da estátua de Jelačić, um nobre croata que teria sido responsável por abolir a servidão no país. Esse foi um bom começo porque aqui fica o centro de informação turística, onde me deram vários folhetos com a programação de vários festivais de música ao ar livre que estavam acontecendo na cidade. Também é uma boa parada de manhã para passar lá perto, no mercado Dolać, e comprar algumas frutas frescas.

O símbolo da cidade é a Igreja de São Marcos, conhecida pelo teto com o mais antigo brasão da cidade, de 1499. Lá perto fica o Portão de Pedra, uma das antigas portas da cidade. Segundo a lenda, um incêndio em 1793 destruiu tudo lá dentro exceto um ícone da virgem com o menino. Desde então virou um lugar de peregrinação. Apoveitando para visitar os lugares religiosos de uma vez, também fui à Catedral de Zagreb, famosa por ser até hoje o prédio mais alto da Croácia e ser visível da maior parte da cidade.

Andando pelo centro, você pode pegar o funicular em Tumiceva Street e subir ao Strossmeier Promenade. Lá em cima tem uma torre, a Lotrščak, onde você pode subir e ver a vista da cidade. No verão, o parque fica cheio de gente aproveitando a comida de rua e shows de jazz, em um parquezinho chamado Strossmartre. Foi onde peguei um show de jazz incrível.

Show de jazz ontem com vista panorâmica de Zagreb. #jazz #wanderlust #instatravel #solotravel #zagreb #croatia

A post shared by Julia Boechat (@julia.boechat) on

Andando por Zagreb, minha atração preferida foi o Museu dos Relacionamentos Partidos. Esse museu tem uma coleção de objetos de relacionamentos que já acabaram. Tudo que está lá é doação, e todos tem comentários, algumas vezes tristes, outras irônicos, provocantes.

Ele já teve post próprio, aqui.

Também gostei muito do pequeno museu de Arte Naïf, a arte primitivista feita por pessoas sem treinamento formal, que por isso são chamados de naïves, ingênuos em francês. Eles acreditam que a falta de ténicas elaboradas e abordagens convencionais leva a uma arte mais conectada com a alma do artistas. É claro que a falta de educação em uma academia não significa que eles não busquem qualidade ou tentem se aperfeiçoar. O museu de Zagreb é considerado um dos melhores desse estilo.

O Art Pavillion é considerado um dos melhores museus e centros de exposição da cidade. É um prédio em estilo Art Nouveau, construído primeiro em Budapeste para um concurso de arquitetura. Depois a estrutura de aço foi transportada para Zagreb e se tornou o maior espaço da cidade dedicado a exposições. Sempre vale a pena ver o que está rolando aqui.

Art Pavillion Zagreb 2

Continuando com os museus, adorei também o Museu de História de Zagreb, que quando eu estava lá tava tendo uma exposição de fotografias da época da Guerra da Pátria, como eles chamam a guerra da independência que aconteceu com o fim da Iugoslávia. Nessa época, várias cidades foram bombardeadas e Dubrovnik foi sitiada pelo exército por meses.

Cidade alta Zagreb

Nikola Tesla é rei dos geeks e um ídolo-mor da internet, superado apenas por gatinhos em cima de um piano. Existem controvérsias a respeito de suas invenções, mas o fato é que ele virou uma figura pop, e hoje é reivindicado por meia dúzia de nações. Zagreb, onde ele nasceu, tem uma estátua dele no centro da cidade.

A rua Tkalčićeva é conhecida pela quantidade de restaurantes. Apesar de ser um lugar turístico, você pode comer aqui pagando muito pouco. Eu comi um gnocchi de trufas por cerca de três euros no restaurante Nokturno, e estava incrível. 

Rua Tlakciceva

Andando por Zagreb, você vai encontrar vários prédios interessantes, parques, museus. Foi uma ótima introdução à Croácia, e adorei ter dedicado alguns dias à cidade. Além disso, também foi uma boa base para visitar o parque de cachoeiras de Plitvice.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

5 comentários

  1. Julia, to pensando em fazer uma viagem pela Croácia. Eu queria incluir Zagreb, mas chego em Split e saio de Zadar. Tinha pensado em fazer Split-Dubrovnik-Zadar (day-trip para Plitvice), talvez incuir alguma ilha também. Tennho 20 dias. O que você acha?

    Curtir

    1. Uma ideia é fazer Split -Dubrovnik -Zagreb (ou day-trip para Plitvice, ou parar lá no caminho) – Zadar. As únicas ilhas que visitei foi Trogir, como day trip de Split, e Lokrum, como day trip de Dubrovnik, gostei muito das duas. Hoje saiu um post sobre Trogir e daqui a uns dias sai sobre Lokrum. E sei que tem muitas possibilidades de Split e Zadar 😆

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s