Eu estava passando por um caminho super estreito de madeira quando tive que parar e esperar um casal que tirava selfie atrás de selfie. Era a centésima vez no dia. Algum turista mais impaciente resolveu passar entre nós dois, e eu tive que me espremer com a sensação desagradável que eu ia cair na água.

Os lagos Plitvice (pronuncia-se Plitivitse) são uma das atrações mais conhecidas da Croácia. São dezesseis lagos ligados por um conjunto enorme de cachoeiras. A visão é linda, e quem vê uma foto não pode deixar de pensar que esse lugar é imperdível. E não me entenda errado: é mesmo um dos lugares mais bonitos em que eu já fui.

Mas enquanto todo mundo que eu conheço que foi em outras épocas do ano achou que foi uma das melhores experiências da Croácia, eu e outras pessoas com quem conversei que foram no verão acharam que o parque estava lotado demais. A ponto de ser difícil de caminhar em alguns trechos. O comentário geral era que eles deviam limitar o número de pessoas por dia.

Quando eu fui, os primeiros lagos estavam insuportáveis. Mais em cima, tava super tranquilo e até meio vazio, e foi quando comecei a curtir Plitvice.

Algumas medidas foram tomadas para preservar o parque, como a proibição de nadar, mas ainda falta muito em termos de infra-estrutura. Você pode ver vários animais pelo parque, já que ele é tambem um refúgio. É comum ver águias, corujas e vários tipos de peixe, e menos comum ver lobos e ursos, porque eles não costumam ficar perto das trilhas.

Dicas práticas: Leve comida. Existem lojas e restaurantes lá dentro, mas a comida tende a ser apenas uns sanduíches caros.

Olhe a previsão do tempo. Eu fui no meio de agosto e mesmo assim peguei 14 graus. Os caminhos podem ser bem escorregadios, então atenção com o sapato.

No início do parque, eles oferecem algumas sugestões de trilhas, com duração de 2 a 8 horas. Esses mapas não são muito frequentes, então tire uma foto com o celular para se garantir. Se puder, faça as trilhas maiores, que ficam menos cheias.

Quando ir a Plitvice: a primavera tem a fama de ser a época mais bonita, já que o volume das águas é maior e a natureza está mais verde. O outono tem um atrativo grande para brasileiros porque a gente não tem a troca de folhas. Achei que eu teria curtido bem mais se não tivesse ido no verão, mas no final a melhor época para viajar é quando a gente pode, então se essa for sua única chance, aproveite.

Como chegar: a maioria dos turistas chega como day-trip a partir de Zagreb ou Zadar, ou dormem no parque no caminho de uma dessas cidades para a outra. Dormir lá também pode ser uma boa opção para entrar no parque bem cedo, antes da maioria dos turistas. Se você gosta muito de natureza, vale a pena visitar o parque durante mais de um dia, ou combinar com uma visita a outro parque de cachoeiras, o Krka – nas quais você pode nadar.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

5 comentários

  1. Eu to procurando sobre esse parque e é a primeira vez que eu leio isso… Provavelmente vou mesmo assim, mas achei bom que me preparo para lidar com as multidões…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s