Acho que foi no filme The Passenger, do Michelangelo Antonioni, que eu vi a Casa Milà pela primeira vez. Maria Schneider e Jack Nicholson andaram pelo telhado da casa e eu pensei que eu era um lugar bizarro e incrível.

the passenger casa mila

A Casa Milà, também conhecida como La Pedrera, é um dos prédios mais interessantes do Gaudí. Ela fica no Passeig de Gràcia, o endereço da elite de Barcelona no início do século XX, e, aliás, o chão original dos apartamentos da casa foi a inspiração da atual calçada do lado de fora.

Eu comecei o tour, como sugerido na entrada, pelo telhado. A vista de Barcelona é linda – principalmente a vista da Sagrada Família – e o audioguide me informou que as estátuas loucas pelas quais a Maria Schneider e o Jack Nicholson tinham passado não eram apenas decorativas. Elas são todas antenas ou chaminés, cuja disposição foi aproveitada pelo Gaudí para transformar o telhado em um lugar agradável para visitar. Uma das estátuas é feita de cacos de garrafas de champagne, que Gaudí teria guardado da própria festa de inauguração do prédio.

Do telhado, desci para o loft, planejado para ser uma área comum do prédio, com lavanderia e outros serviços. Hoje ele tem uma exposição que mostra como Gaudí trabalhava, como buscava inspiração na natureza, além de alguns de seus móveis e modelos. Ele é todo feito em arcos, que lembram as costelas de um animal.

Por fim, visitei um apartamento decorado com mobília da época, onde eu reforcei a impressão que tive no telhado, de que nada do Gaudí é feito só pela aparência. Os apartamentos tem muita luz, e cada detalhe, as maçanetas que se encaixam perfeitamente na mão, as janelas internas, o chão de cada cômodo, o fluxo do ar, tudo foi fruto de um preciosismo enorme do arquiteto. Eu fiquei pensando que lá, ao contrário de tantos prédios famosos pela arquitetura, parecia um lugar agradável para viver.

É claro que morar em um prédio tão curvo tem suas dificuldades. A senhora Milà, na época, teria reclamado que o apartamento não tinha uma parede reta onde apoiar seu piano. A resposta de Gaudí foi sugerir que ela começasse a tocar violino. Os apartamentos dos Milà, no andar principal, era decorado com móveis do próprio Gaudí. Esse apartamento, como a maioria dos outros no prédio, ainda é propriedade privada.

O prédio foi muito controverso na época, principalmente por causa da fachada curva, e por isso foi apelidado de “A Pedreira”. A fachada, aliás, é completamente auto-sustentável e qualquer parede interna pode ser removida pelos proprietários. As varandas de ferro foram consideradas horríveis, inovações com a garagem subterrânea foram consideradas absurdas. Embora o conselho da cidade tenha imediatamente declarado que a casa era uma obra de arte, vizinhos irritados se recusavam até a cumprimentar o senhor Milà, com medo que a sua extravagância diminuísse o preço das casas em redor. O tempo provou como estavam errados.

Pátio  Casa Mila Barcelona
O ingresso na Casa Milà custa impressionantes 20,50 euros, ou 16,50 para estudantes e 10,25 para crianças de sete a doze anos. Apesar disso, ainda acho que vale a pena para quem se interessa pelo Gaudí.

Se você também ama o Modernismo Catalão, pode se interessar pelos nossos posts sobre o Quarteirão da Discórdia, a Sagrada Familia ou o Bairro gótico, que apesar do nome é bem eclético e tem prédios incríveis.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s