Quando eu vejo posts sobre passes de trem na Internet, quase sempre eles estão tentando decidir se essa é a forma mais barata de viajar pela Europa. Então vamos tirar isso do caminho: na maioria das vezes, a forma mais barata de viajar é combinar trem, vôo low-cost e ônibus e comprar quase tudo com meses de antecedência. Geralmente as day-trips podem ser pensadas de última hora, mas trechos em longa distância aumentam muito. Uma passagem Viena-Ljubljana, por exemplo, custa 29 euros se comprada antes, mas 110 se comprada em cima da hora. Você pode fazer Paris-Milão por 19 euros comprando um vôo com antecedência pela Ryan Air, ou por 1 euro em um ônibus da Megabus.

 

Então por que os passes de trem são tão falados? Se você já foi em uma viagem planejada antes, provavelmente já se arrependeu de ter colocado pouco tempo para uma cidade que te surpreendeu e desejou ter ficado mais tempo, já fez o contrário e colocou tempo demais em uma cidade que não era tão interessante ou já ficou com raiva de não poder mudar o destino de última hora porque não pode conhecer uma cidade da qual ouviu falar muito bem durante a viagem, ou porque conheceu um grupo de pessoas fantásticas e queria continuar a viagem com eles.

 

Então é essa a vantagem dos passes de trem: eles permitem que você seja espontâneo. Geralmente você compra um número específico de viagens, como 8 ou 10 no espaço de um mês. Você preenche o passe com seus dados e na hora que decidir o próximo destino, escreve o número do trem, o horário, a origem e o destino no passe. Se um inspetor te pedir a passagem, é isso que você vai mostrar, idealmente.

 

Outra vantagem é que viajar de trem é muito mais conveniente e tem vistas melhores do que viajar de avião. Você geralmente vai viajar de centro da cidade para centro da cidade, não para um aeroporto super longe, e ecologicamente o trem é muito melhor para curtas distâncias.

 

Vamos começar falando que existe mais de um tipo de passe de trem. Se você é cidadão europeu ou mora na Europa (isso inclui quem tá lá de intercâmbio), na Rússia, Turquia, Argélia, Marrocos ou Tunísia, você se qualifica para um Interrail Pass. Se não, você pode comprar um Eurail Pass.

 

Eurail

O Eurail deve ser comprado com antecedência. Você pode comprar o passe para 1, 2, 3, 4 ou para todos os 26 países participantes. Você pode comprar passes que te dão o direito de viajar um determinado número de dias em um mês – por exemplo, 5 dias em um  mês – ou passes ilimitados.

Se você tem menos de 26 anos, você pode comprar o passe de segunda classe, se você tem mais, você deve comprar o passe de primeira classe.

Usar o Eurail é mais complicado na França, Espanha, Portugal, Suécia e Itália, já que você costuma ter que reservar os trens antes, o que diminui a conveniência e traz custos. É fácil na Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suiça, Áustria, Dinamarca e no leste europeu.

 

Interrail

Para comprar o Interrail, você deve comprovar residência na Europa. No país onde você vive, você só pode ter duas jornadas de trem incluídas, que você pode usar para sair e entrar de novo no país.

Para descobrir que trens você pode pegar, use o site alemão da Bahn, que tem horários para toda a Europa.

 

Assim como o Eurail, se você tem menos de 26 anos, você pode comprar o passe de segunda classe, se você tem mais, você deve comprar o passe de primeira classe.

Países onde viajar com interrailing é fácil: Bélgica, Luxemburgo, Holanda, Suiça, Alemanha, Áustria, Dinamarca, Reino Unido e Irlanda.

 

Nesses países você não costuma precisar fazer reservas antes em trens domésticos e internacionais. Você pode só subir no trem e mostrar seu passe e vai dar tudo certo. Vale a pena notar que reservas não são obrigatórias mas podem ser feitas, se você quiser garantir um assento.

Algumas exceções importantes são os trens Thalys entre Bruxelas e Amsterdam e Bruxelas e Colônia e alguns trens famosos pela vista na Suiça, nos quais a reserva é obrigatória.

 

Países onde viajar com interrailing não é tão fácil: França, Itália, Espanha, Portugal e Suécia.

Trens internacionais e domésticos nesses países quase sempre exigem uma reserva de assento, que deve ser feita com antecedência e pode custar entre 4 e 20 euros. Na Itália e na Espanha você vai pagar quase 10 euros a mais por viagem. Tendo em vista que os trens rápidos italianos, quando comprados com antecedência, custam entre 9 e 19 euros, e os trens regionais costumam ser bem baratos, não vale tanto a pena usar o passe lá. Em alguns outros países da lista você perde um pouco do fator conveniência, mas ainda pode usar o passe.

No leste da Europa a situação é bem irregular, com alguns trens que exigem reserva e outros que não exigem.

 

Em todos os países você precisa pagar extra e fazer uma reserva para ter uso de uma cama nos trens noturnos. Mas um trem saindo a partir das 19:00 e chegando no destino no dia seguinte só conta como um dia do seu passe.

 

É claro que você não precisa usar o passe em qualquer passeio de trem. Você pode usá-lo para uma viagem de Viena para Ljubljana, depois comprar bilhetes separados para day-trips baratas como o lago de Bled, o Castelo de Predjama ou as Cavernas de Skocjan e depois usar o passe de novo para viajar para o próximo país. Ou se você estiver planejando passar um bom tempo na Holanda, Bélgica, Alemanha e Áustria com uma passada rápida na Eslováquia, pode comprar um passe de quatro países para os lugares onde vai passar mais tempo e uma passagem separada para a Eslováquia.

 

Alguns países também oferecem os seus próprios passes: France Rail Pass, Swiss Travel Pass, German Rail Pass, BritRail, Renfe Spain Pass, Benelux Tourrail (Belgica, Holanda e Luxemburgo), Balkans Flexipass (Bulgaria, Bosnia e Herzegovina, Grécia, Macedonia, Montenegro, Romenia, Sérvia e Turquia). Não sei quanto o Balkans Flexipass fica mais barato, já que os trens tem descontos enormes para estudantes em vários desses países.

Muitas vezes esses passes são mais fáceis de usar e menos burocráticos que um Interrail para um país só.

 

Já usou passes de trem na Europa? Como foi?

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s