Siracusa já foi descrita por Cícero como a maior e mais bonita das cidades gregas. Apesar de seus 2700 anos de história, ela é muito mais que um museu a céu aberto, e ainda é uma cidade viva e que se adapta, muda.

vista-de-ortygia-siracusa

Eu desci do ônibus vindo de Catania perto da Área Arqueológica. Já nas casas do centro de turismo você pode reconhecer um antigo aqueduto.

aqueduto-transformado-em-casa-siracusa

O Teatro Grego é uma das maiores atrações, e é cortado da rocha. Tragédias gregas ainda são representadas aqui, principalmente em maio e junho, e atraem milhares de pessoas. As versões modernas são apresentadas em italiano, com tradução de autores famosos como Salvatore Quasimodo. Sinceramente, era inverno mas estava fazendo 20 graus, eu achei bem que podiam fazer representações nessa época. O verão é quente demais mesmo.

teatro-grego-de-siracusa

A Orelha de Dionísio é uma caverna que supostamente servia como prisão. A acústica garantia que o tirano Dionísio conseguia ouvir o que os prisioneiros falavam lá dentro. Caravaggio, ao visitá-la séculos depois, teria dado o nome ao lugar.

Se você quiser visitar o Museu Arqueológico lá perto, não se esqueça de comprar um ingresso combinado. Também existem várias necrópolis nessa área, algumas das quais se pode visitar.

Depois, continuei para a ilha de Ortygia, onde a cidade começou. Muito da cidade foi destruído em um terremoto no século XVIII, e partes da cidade foram reconstruídas em estilo barroco.

chegando-em-ortygia

Atravessando uma das três pontes para Ortygia, logo me deparei com as ruínas do antigo templo de Apolo.

templo-de-apolo-ortygia

A piazza del Duomo é a maior de toda a Sicília. O Duomo, aliás, incorporou um antigo Templo de Atenas que existia no mesmo lugar, cujas colunas você ainda pode ver. A fachada foi reconstruída após um terremoto no século XVII em barroso siciliano tardio. Outra igreja na mesma praça, a Santa Lucia alla Badia, tem um Caravaggio famoso, o Enterro de Santa Lucia, conhecido pela ação limitada ao terço inferior do quadro.

A Fonte Aretusa é o lugar de um mito grego: a ninfa Aretusa estava sendo perseguida pelo deus do rio Alfeu e foi transformada em uma fonte por Artemis, reaparecendo em Siracusa.

Bem na ponta da ilha fica o Castello Eurialo, uma fortificação que existe desde a época grega. Ele era separado do resto da ilha por um fosso, mas hoje pode ser visitado.

Siracusa fica a apenas uma hora de Catania, tornando possível visitá-la como day-trip. Se você resolver passar algumas noites lá, pode visitar outras cidades no Val di Notto, como Notto e Ragusa.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s