Um dos maiores motivos pelos quais sempre quis visitar Viena é Gustav Klimt. Para muitos, a obra de Gustav Klimt é a epítome do Art Nouveau, ou, como o estilo é o mais conhecido em Viena, Secessão. Ele é um dos artistas mais conhecidos do mundo, e seu quadro O Beijo está em quadros, almofadas, toalhas, lenços, caixas e o que eles conseguirem vender.

Embora celebrado hoje e tendo quadros entre os mais caros do mundo, Klimt sofreu oposição nos seus dias e foi acusado de obscenidade. Hoje um dos motivos de sua admiração é justamente o erotismo de suas pinturas.

Chegando em Viena, é claro que fiz um roteiro para maximizar e ver a maior parte dos quadros de Klimt que eu conseguisse.

O primeiro que fui ver foi Edifício Secession, construído em Viena para exibições de arte dos artistas do novo estilo por Joseph Maria Olbrich. Na entrada, ele colocou o lema do movimento “Para cada tempo, sua arte, para cada arte, sua liberdade”. Debaixo ficam três rostos representando a pintura, a escultura e a arquitetura.

Menos seriamente, o domo dourado gerou o apelido de “repolho dourado”.edificio-secesson-viena

edificio-secesson-viena-2

O edifício Secession é um dos poucos lugares onde você pode ver uma obra do Klimt no contexto para o qual ela foi feita. É um friso monumental, de trinta e quatro metros por dois, no qual Klimt tentou imortalizar a nona sinfonia de Beethoven. Ele foi pintado com materiais leves para uma exibição sobre Beethoven em 1901, mas foram preservados e estão em exibição desde os anos 80.

000-beethoven-klimt

friso-de-beethoven-klimt-2

friso-de-beethoven-klimt-3

Gustav Klimt, Beethovenfries (Detail): Poesie

Todas as fotos do friso foram tiradas da WikiArt

Depois fui ao Museu do Belvedere, um complexo de palácios que inclui o Belvedere de cima e o de baixo.

palacio-belvedere-viena-2

Logo na entrada, os fãs de Klimt vão ver o que procuram, o quadro O Beijo, só que na versão para selfies. Como não pode tirar fotos lá dentro nem sem flash, melhor aproveitar esse.

O original mede 1,80m por 1,80m e é decorado com ouro e prata. O que é incrível, a textura do quadro e o jeito como ele reflete a luz não podem ser reproduzidos em uma foto ou livro.

the-kiss-19081

Crédito: wikicommons

No palácio você vai encontrar outras 23 pinturas de Klimt, além de pinturas de Kokoschka e Egon Schiele. Essas são duas das minhas preferidas.

Judith 1901

gustav_klimt_judith

Crédito: wikicommons

Water Serpents I 04-07

2013-10-04-gustave_klimt_klg0284

Crédito: wikicommons

O Leopold Museum ficou conhecido como um museu focado em Art Nouveau, com vários quadros de Klimt, além da maior coleção de Viena de Egon Schiele. Ele fica em um prédio moderno no Museum Quarter de Viena, com excelente vista para a praça.

museumquartier-viena-vista-do-leopold

Morte e Vida é o quadro mais famoso de Klimt no museu, uma alegoria da morte que olha as figuras vivas no outro lado do quadro com malícia. Klimt mudou alguns detalhes do quadro mesmo depois que já estava emoldurado, substituindo o fundo dourado pelo cinza que a gente vê hoje em dia.

download-1

Crédito: wikicommons

No MuseumsQuartier também ficam o Mumok – Museu de Arte Moderna; o Kunsthalle, cuja programação sempre vale a pena conferir; o Architekturzentrum Wien (Az W), voltado para arquitetura e design; o Q21, que providencia lugar de trabalho para 50 iniciativas, coletivos e organizações, alguns dos quais organizam exposições ao ar livre; o monochrom, grupo de filosofia, arte e tecnologia. Quando eu fui para Viena, em agosto, o MuseumQuartier também era um dos melhores lugares para ir de noitinha, sempre tava rolando alguma exposição, cinema ao ar livre, e tava sempre cheio de gente tomando uns drinks ao ar livre.

Por fim, alguns dos lugares em que não consegui ir, mas onde também ficam obras do Klimt:

No Kunsthistorisches Museum, o Museu de História da Arte, você pode ver pinturas de Klimt na decoração do prédio. Aqui não tem quadros porque o museu se dedica à uma época antes de Klimt, mas ele foi chamado para fazer imagens que retratassem a história da arte do Egito antigo aos dias de hoje. Onze delas são de Klimt.

Crédito: wikicommons

O Museu de Viena é conhecido pelos admiradores de Klimt por ter o quadro Palas Atenas e também a maior coleção de desenhos seus: são 411.

palas-atenea

Crédito: fundação Klimt

Outro lugar que Klimt decorou, o Burgtheater é decorado com a pinturas A carroça de Tespis, O Teatro de Taormina, O Teatro Globe em Londres, O Altar de Dionisio e O Altar de Vênus. O interessante é que eles incluem o único auto-retrato conhecido de Klimt e sua descoberta salvou o prédio da demolição.  Você pode visitar em um tour guiado.

burgtheater-klimt-foundation

Crédito: fundação Klimt

Se você está interessada em outros artistas da época, clique aqui para ver nosso post sobre Art Nouveau em Viena.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s