O sistema de trens na Itália é muito bom, mas pode ser um pouco confuso para quem vai lá pela primeira vez. Por isso acontece até de turistas bem intencionados acabarem levando uma multa, ou não conseguirem explorar ao máximo as possibilidades que ele oferece. Então resolvi colocar algumas dicas para todo o tipo de viagem de trem dentro da Itália, e espero que elas ajudem!

 

Na Itália, existem três tipos de trem: os frecce, que são trens rápidos, os intercity e os regionais.

Os frecce são divididos em Frecciarossa, o mais rápido e mais caro, que só para em algumas cidades (você pode pegá-lo para ir a Turim, Milão, Bologna, Florença, Roma, Nápoles e Salerno, por exemplo); Frecciargento, que faz algumas paradas a mais e é um pouco mais barato, e o Frecciabianca, que para ainda mais um pouco. Todos tem amplo espaço para bagagens, ar-condicionado, Wi-Fi e assentos reservados. Os frecce começam mais baratos e os preços aumentam, então se você for de Bologna para Milão de frecciarossa com alguns meses de antecedência, vai pagar 19 euros (a viagem dura uma hora, compare com as três horas de trem regional por 16 euros). Em cima da hora, você paga 60 euros pelo mesmo bilhete. Você pode comprar os bilhetes online, e mostrar o bilhete no celular ou mesmo anotar código e mostrar quando alguém te pedir.

IMG_20160107_134602

Depois tem os intercity, trens um pouco mais lentos, sem o mesmo conforto, mas mais rápidos que os regionais. Com eles, você também deve comprar a tarifa com antecedência. Ele também tem a opção do intercity noturno, com opção de reservar uma cama, que é uma boa alternativa para alguns trajetos.

 

Os regionais são os trens mais lentos. Com eles, você compra o bilhete na hora, já que a tarifa não muda, e o bilhete vem impresso sem hora nem o número de um trem específico, porque você pode usá-lo em qualquer momento nos próximos meses. Você deve validar o bilhete em uma das maquininhas na estação. Isso é muito importante porque não fazer isso é o mesmo de não ter um bilhete, e, se pego, você vai levar uma multa. Não adianta chorar que você é brasileiro e não sabia, eles já ouviram de tudo, verdade e mentira.

obliteratrici-trenitalia-1

Depois de validado, você tem um número de horas para chegar no seu destino usando o mesmo billhete. Pode ser de 30 minutos a 24 horas, dependendo da distância em km. Então você pode, por exemplo, comprar um bilhete de Bologna a Milão, descer em Modena, passar algumas horas lá e embarcar em outro trem depois com o mesmo bilhete.

como-andar-de-trem-na-italia
Nesse bilhete, por exemplo, a jornada de Bologna para Parma leva uma hora, mas eu tinha seis. Poderia ter passado quatro horas em Modena, no caminho, deixado uma hora por segurança caso o trem tivesse atrasado, sem nenhum problema.

Chegou em cima da hora e não deu tempo de comprar bilhete? Vá imediatamente para a frente do trem e compre o bilhete com um acréscimo direto do condutor. Também vale se você entrou sem validar, mas tem que ser logo na hora de embarcar. É mais barato que pagar multa.

Compre o bilhete na maquininha e preste atenção no número de trem e horário, porque nos placares eletrônicos vai aparecer o nome do último destino (se não você vai ficar com torcicolo esperando mostrarem todas as cidadezinhas em que vários trens passam antes de achar a sua de novo). Com isso você descobre sua plataforma (binario). Preste atenção porque às vezes a plataforma muda, então sempre confira nos placares ao lado do trem antes de entrar.

partenze
Foto tirada do site Trip Advisor, não sei a quem pertence

Nas plataformas, tem um golpe comum, especialmente em Roma, que é de alguém se oferecer para carregar sua mala – ou nem oferecer, pegar da sua mão mesmo – e depois cobrar dinheiro. Diga não, segure bem sua bagagem e não se sinta constrangida se eles começarem um escândalo.

Detalhe importante: trens que saem da Itália para outro país geralmente só podem ser comprados na Itália, não pela internet. Então se você quer sair da Itália de trem e não quer esperar a passagem aumentar de preço, vale a pena considerar viajar de ônibus ou de avião.

Se você prefere ir de trem, o jeito mais fácil e barato costuma ser pegar um trem noturno na modalidade couchette com seis camas. É o mesmo trem com cabines de durante o dia, mas eles puxam painéis e formam esses dois treliches. Eu acho que vale muito a pena.

couchette-seis-camas-trem-noturno
Couchette seis camas no Raildude.com

 

Até então, estou falando da Trenitalia, a companhia estatal da Itália. Você pode comprar esses bilhetes pelo site da Trenitalia  ou no Italia Rail, que vende as mesmas passagens mas pode ser mais barato para dois ou mais passageiros viajando juntos.

Se você tem menos de 26 anos e mora na Itália ou tem cidadania, você pode fazer um cartão de desconto. É de graça e você pode fazer no site mesmo, e vai ter descontos em algumas passagens. Para isso, você já precisa ter seu número de Codice Fiscale, o equivalente ao CPF na Itália.

italo_treno
Italo Treno em Trasportando.com

Mas é importante falar que nem todo trecho é feito pela Trenitalia. Em alguns trechos, você tem a opção de comprar bilhetes pela Italo, uma companhia privada que liga as principais cidades da Itália, e que muita gente prefere.

Em outros trechos, as únicas opções são outras empresas. O que a maior parte dos turistas deve encontrar é a Circumvesuviana, a companhia que circunda o Vesúvio – hence the name – ligando Nápoles a Herculano e Pompéia. Você pode comprar os bilhetes na estação ou usar o Campania ArteCard, que inclui o transporte até lá, dentro de Nápoles, e a entrada nas duas cidades. Eu calculei para mim e valeu muito a pena, porque também queria visitar algumas atrações em Nápoles.

Os trens na Itália são uma alternativa ótima na maioria dos lugares, mas em alguns não são a opção mais fácil. Se você quiser ir a cidadezinhas na Toscana, muitas ficam cima de colinas, então não tem estações de trem ou tem estações muito longe do centro histórico. Então ir de ônibus pode ser bem mais conveniente. Na Sicília também os trens não tem boa reputação, os locais dizem que eles sempre atrasam e que é melhor optar por fazer as viagens de ônibus.

 

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s