Lima me lembrou muito das grandes cidades brasileiras. O bairro em que eu fiquei, Miraflores, parece Ipanema, enquanto o Barranco me parecia um Vila Madalena com acesso ao mar. Nesses bairros modernos é às vezes fácil esquecer que Lima é, porém, muito mais antiga do que qualquer cidade brasileira. Felizmente, nem é preciso sair de Miraflores para encontrar resquícios desse passado.

Huaca Pucllana Lima pirâmide 1

Em Miraflores fica a Huaca Pucllana, uma grande pirâmide construída pela cultura Lima. Os Limas viveram na região entre o ano 200 e 700 de nossa época, e construíram ali um Huaca, um lugar sagrado, que era também um centro administrativo. Depois eles construíram a pirâmide, que também foi usada pelas culturas que se desenvolveram depois na área, como os Wari, que viveram lá entre os anos 500 e os anos 900.

Huaca Pucllana Lima pirâmide 2

Depois foi usada pelos Ychsma, que viveram lá entre os anos 1000 e 1532, e usaram a pirâmide como cemitério. Todas essas culturas remodelaram o edifício de acordo com seus gostos e com a utilidade que pretendiam dar a ele. Na pirâmide foram encontrados os corpos de três adultos e de uma criança, que teria sido sacrificada.

O lugar também tem uma pequena sala de exposições, e mantém alguns animais como uma llama, patos e alguns porquinhos da índia.

Huaca Huallamarca Lima pirâmide 3

Em um bairro vizinho, San Isidro, fica outra pirâmide, ainda mais antiga, Huaca Huallamarca. Ela foi construída no primeiro séculos antes de nossa era pela cultura Pinazo. A pirâmide foi abandonada no terceiro século da nossa era.

Huaca Huallamarca Lima pirâmide

Culturas que ocuparam a região de Lima depois, como os Lima, Wari e Ychsma, já citados, usaram a pirâmide como cemitério. Foram encontrados alguns corpos, embrulhados em um fardo funerário com uma máscara. Alguns deles estão na sala de exposições, e outros fardos na estrutura simulam como eles foram encontrados.

Huaca Huallmarca Lima pirâmide 2

Segundo a informação presente lá mesmo, a pirâmide não tinha originalmente esse formato. Pedras foram retiradas para construir casas lá perto, e houve planos de destruir as ruínas para construir um parque no lugar. Finalmente, ela foi restaurada por Arturo Jiménez Borja, um médico e arqueólogo amador, que fez com que ela acabasse se parecendo uma pirâmide mexicana.

Outro dos lugares mais importantes para ver as civilizações antigas do Peru é o Museu Larco. A coleção deles mostra ao público 4 mil anos de objetos de cerâmica, tecidos e metal. Os objetos em exposição pertencem às civilizações Inca, Huari, Tiahuanaco, Chavín, Paracas, Nazca, Chincha, Lima, Chanchay, Cupinisque, Vicus, Mochica e Chimu.

Achei que a visita foi ótima, em parte porque eu nunca tinha nem ouvido falar da maior parte dessas culturas. Tinha ouvido falar muito dos Incas, com razão, uma menção a algumas outras, e nada sobre a maioria. É um daqueles momentos em que a gente entende a riqueza e a diversidade do continente em que nascemos.

Duas coisas são realmente diferentes nesse museu: você pode entrar nas coleções e ver o que não está em exibição, e tem uma pequena exposição separada com a arte erótica dos povos nativos, que os espanhóis se esforçaram por destruir, então é rara hoje em dia.

Escrito por Julia Boechat

Estudante de história. Já morei em Bologna, fiz trabalho voluntário em Praga e viajo sempre que posso. Sou viciada em livros e filmes e estou tentando ler/ver um de cada país do mundo.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s